sábado, 14 de março de 2015

Irreverência e pioneirismo: Cono Sur Bicicleta Carménère - 2012

Modernidade e inovação são as palavras-chave para entender esta jovem vinícola chilena. Dentre os feitos alcançados ao longo de seus vinte e dois anos de existência estão a introdução da Viognier no terroir chileno e um dos maiores volumes de produção de Pinot Noir em todo o mundo. Após uma ascensão meteórica para o grupo dos maiores exportadores de vinho chileno, a Cono Sur consolidou sua posição com vinhedos em praticamente todos os terroirs do país. Desde 1995, a casa vem utilizando, com grande entusiasmo, rolhas sintéticas e tampas de rosca em seus vinhos. O amor pelo novo por vezes resvala na crítica aberta a todo o clima de tradição e história que permeia o universo vitivinícola: no site, é possível ler os dizeres “No family trees, no dusty bottles, just quality wine”.
A linha Bicicleta é a mais básica da casa e conta com uma variedade impressionante de opções: desde um Gewurztraminer do Vale de Bio-Bio até um Syrah do Vale de Colchagua. Os tintos, em sua maioria, levam algumas pitadas de outras uvas. Este Carménère que provamos, por exemplo, é complementado por pequenas adições de Cabernet Sauvignon, Petit Verdot, Malbec, Carignan e Alicante Bouchet. Incrível!

Coloração densa e opaca, de um rubi tendente ao púrpura. No nariz, é muito intenso e portentoso, com amplas e exuberantes notas de frutas em compota, especialmente amoras, ameixas e groselha. A madeira está bem integrada, criando um perfil dark e poderoso. No fundo, uma intrigante nota vegetal faz sua aparição. Em boca é bem estruturado, como seria de se esperar, trazendo sobretudo frutas maduras. Taninos muito redondos. Excelente proposta por um preço convidativo!

Deixe seu comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Top Web Hosting | manhattan lasik | websites for accountants
Google Analytics Alternative